segunda-feira, 17 de Janeiro de 2011

Os papéis sociais

Um papel social é aquilo que se espera de alguém que tem um certo estatuto social. É o conjunto de deveres ou funções que a pessoa tem. Por exemplo: espera-se que um professor explique as matérias, que avalie os alunos, etc.

O que compete a um certo papel social pode estar formalmente definido num regulamento ou estabelecido de modo informal nas tradições de uma sociedade.

Cada pessoa desempenha vários papéis. Uma mesma pessoa pode ser mulher, mãe, esposa, filha, amiga, professora, sindicalista, etc. Quando a diversidade de papéis diz respeito aos vários papéis que uma mesma pessoa desempenha costuma designar-se multiplicidade de papéis.

Quando a diversidade de papéis diz respeito a papéis relacionados entre si, mas desempenhados por pessoas diferentes, costuma designar-se conjunto de papéis. Por exemplo: avô, avó, pai, mãe, filho.

Num conjunto de papéis podem existir conflitos. Por exemplo: os desentendimentos entre pais e filhos relativamente à duração do estudo e às horas para regressar a casa.

Numa multiplicidade de papéis também podem existir conflitos: por vezes os diferentes papéis envolvem exigências difíceis de compatibilizar umas com as outras. Por exemplo: o papel de professor pode ser difícil de compatibilizar com o papel de pai, se a pessoa em causa não tiver condições de trabalho.

Podem também ocorrer conflitos entre as diferentes exigências de um mesmo papel. Nesse caso, é um conflito intrapapel. Por exemplo: em certas circunstâncias um professor pode hesitar entre penalizar um erro do aluno ou valorizar o facto de ele ter tentado responder.

Bibliografia:

Peter Worsley, Introdução à Sociologia, 5ª edição, Publicações Dom Quixote, Lisboa, 1983, pp. 287-291.

Sem comentários: