segunda-feira, 12 de Janeiro de 2009

Valores e normas

«As ideias que definem o que é importante, útil ou desejável são importantes em todas as culturas. Essas ideias abstractas, ou valores, atribuem significado e orientam os seres humanos na sua interacção com o mundo social. A monogamia – a fidelidade a um único parceiro sexual – é um exemplo de um valor proeminente na maioria das sociedades ocidentais.

As normas são as regras de comportamento que reflectem ou incorporam os valores de uma cultura.

As normas e os valores determinam entre si a forma como os membros de uma determinada cultura se comportam. Em culturas onde se valoriza grandemente a aprendizagem, por exemplo, as normas culturais encorajam os alunos a despender grandes energias no estudo, apoiando os pais que fazem sacrifícios em prol da educação dos filhos. Numa cultura que valoriza a hospitalidade, as normas culturais podem estimular expectativas quanto à dádiva de presentes ou ao comportamento social de convidados e anfitriões.

As normas e os valores variam muitíssimo entre culturas. Algumas valorizam grandemente o individualismo, enquanto outras podem enfatizar as necessidades colectivas. Vejamos um exemplo. A maioria dos alunos britânicos sentir-se-iam indignados se descobrissem um colega a copiar num exame. Na Grã-Bretanha, copiar do colega do lado vai contra os valores fundamentais da realização individual, da igualdade de oportunidades, do trabalho árduo e do respeito pelas regras. No entanto, os estudantes russos sentir-se-iam intrigados com esta noção de ultraje dos seus colegas britânicos. A entreajuda entre colegas num exame é reflexo de quanto os russos valorizam a igualdade e a resolução colectiva de problemas face à autoridade.

Pense na sua reacção face a este mesmo exemplo. O que será que revela acerca dos valores da sua sociedade?

Mesmo no seio de uma sociedade ou comunidade, os valores podem ser contraditórios. Vejamos alguns exemplos. Certos grupos ou indivíduos podem valorizar crenças religiosas tradicionais, enquanto outros podem aprovar o progresso e a ciência. Há pessoas que preferem o sucesso e o conforto material, outras favorecem a simplicidade e uma vida pacata.

Nesta época em que vivemos marcada pela mudança, repleta de movimentos globais de pessoas, bens e informação, não é de estranhar que deparemos com casos de valores culturais em conflito.

As normas e os valores culturais mudam frequentemente ao longo do tempo. Muitas das normas que hoje tomamos como assentes nas nossas vidas – como ter relações sexuais antes do casamento e haver uniões de facto – contradizem valores que até há algumas décadas atrás eram partilhados por muitos.»

Anthony Giddens, Sociologia, 5ª edição, Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, 2007, pp. 22-23.

6 comentários:

Anónimo disse...

muito bom! me ajudou bastante

Leila Souza disse...

Bem didático seu blog, ajudou muito. Obrigada.

Allyce Santos disse...

adorei, pois me ajudou muito

Allyce Santos disse...

adorei me ajudou o bastante

Allyce Santos disse...

adorei, pois me ajudou bastante

Sara Rocha Moraes Sousa disse...

O valor não é a coisa ou o bem em si, mas liga-se a eles por uma determinação qualitativa. O valor é, pois, a qualidade das coisas.O valor ainda é um estado das coisas, uma situação, uma propriedade delas.Já a norma é medida de valor, admite a existência do valor, mas tão somente com relação à conduta real e aos juízos de valor.